Copel explica mudanças no compartilhamento de postes
sexta-feira, 29 de março de 2019

Fechando a manhã de palestras do segundo dia do iBusiness 2019, executivos da Copel Distribuição falaram sobre o Compartilhamento de Postes e Alterações na NTC 855901.

Os técnicos da Copel que se apresentaram foram Nilson Ribeiro de Jesus – Superintendente de projetos; Diogo Ribeiro da Silva – Gerente de Projetos; e Silvia Maria Guedes Machado – Diretora de Projetos. O painel foi mediado pelo diretor da Redetelesul, Benê Matos.

 A NTC 855901 tem por objetivo estabelecer os procedimentos e condições técnicas, para compartilhamento da rede de distribuição aérea de energia elétrica com agentes do setor de telecomunicações na área de concessão da Copel.

Os técnicos explicaram a responsabilidade das partes e condições iniciais para a aprovação de projetos de compartilhamento, cuidados, direitos, entre outros aspectos técnicos e práticos.

Bene Matos questionou sobre a possibilidade de aumento da capacidade de 4 para 6 ocupantes por postes. O diretor da Redetelesul lembrou que há escassez de postes em algumas regiões. Nilson Ribeiro de Jesus disse que há um estudo em andamento na Copel para aumentar até o final do ano para 5 ou 6 ocupantes por poste.

Benê Matos também solicitou que seja criado um critério para definição do quinto e sexto ocupante caso a proposta avance. Para ele, não é interessante que a Copel privilegie quem tem cabo instalado irregularmente porque isso pode acarretar em aumento da infração.

Benê solicitou também que a Copel disponibilize informações do banco de dados de postes para facilitar a elaboração de projetos por parte dos provedores. A Copel disse que este é um tema que também está em discussão.

Silvia Maria Guedes Machado propôs que a Redetelesul, pela força que tem ao representar os provedores de internet do estado, procure a Copel no momento da discussão das alterações em relação ao compartilhamento de postes. “A Associação pode ver a possibilidade de que seja revista a tarifação e se há possibilidade de negociação dentro do contrato”.

Benê disse que acredita que a Copel não deveria cobrar aprovação do Dnit para uso da faixa de domínio, já que isso já era previsto quando a rede de distribuição elétrica foi instalada. “Se já era previsto, por que novamente tem que existir uma aprovação de outros órgãos”? questionou.

Segundo Benê Matos, o processo de aprovação pode demorar anos e inviabilizar os projetos dos provedores. Nilson Ribeiro de Jesus disse que concorda com o argumento, mas afirma que a Copel é cobrada pelo Dnit quando libera algum poste ou equipamento em faixa de domínio. Benê lembrou que a Redetelesul já entrou com liminares para permitir que a aprovação seja feita sem consulta ao Dnit.


Fonte:
 
CONTATO

Deixe-nos uma mensagem

Nosso Endereço

Avenida duque de caxias, 882,
Zona 07, Maringá / PR
Edifício New Tower Plaza, torre I, 5º andar, sala 508
Cep; 87.020-025

(44) 3226-7114                                                               

Horário de Atendimento

Segunda a Sexta-feira: 08:00 às 17:00
2019 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Grupo Mar Virtual